Noite dos Cristais: saiba como Goebbles deu início a chacina dos judeus

Informática

Culinária

Moda

Games

Automóveis

Viagens

Interessante

Música

Cinema

Meio Ambiente

Relacionamento

Política

Saúde

Dicas Diversas

Noite dos Cristais: entenda como Joseph Goebbles deu início a chacina dos judeus
Por Camila Naxara | Publicado em 15 de maio de 2021 ás 16:00

No dia 9 de novembro (1938), iniciou-se uma onda de violência contra os judeus em toda a Alemanha, que mais tarde ficaria conhecida como “A Noite dos Cristais”.

Aparentemente, era um ato de revolta da população alemã contra o assassinato de um oficial do país por um jovem judeu em Paris. Entretanto, foram o ministro alemão da propaganda, Joseph Goebbels (sim, você já ouviu esse nome; nosso antigo ministro da Cultura, Roberto Alvim, fez “cosplay” dele) juntamente com outros líderes nazistas que planejaram a chacina dos judeus, muito antes deles acontecerem para que parecessem ataques espontâneos.

Só para ilustrar o tamanho do massacre, em dois, incineraram mais de 250 sinagogas, aproximadamente 7.000 estabelecimentos comerciais judaicos ficaram completamente destruídos e muitos judeus ficaram feridos ou morreram. Além disso, saquearam hospitais, cemitérios e casas judias. A polícia e os bombeiros, reagiram com total indiferença ante os ataques.

Os pogroms (chacina dos judeus) ficaram conhecidos como Kristallnacht, “Noite dos Cristais” ou “Noite dos vidros quebrados” por causa da quantia de vidros estilhaçados das vitrines das lojas, sinagogas e casas dos judeus.

Na manhã do dia seguinte, 30.000 homens judeus/alemães estavam sendo enviados a campos de concentração pelo “crime” de serem judeus. Posteriormente centenas destes acabaram morrendo nos campos. Algumas mulheres judias também foram detidas e mandadas para prisões locais.

Por conseguinte, estabelecimentos comercias de judeus não puderam ser reabertos, a não ser aqueles que passaram a ser gerenciados por não-judeus. Ainda mais, foram impostos toques de recolher, que serviam para limitar os horários em que judeus poderiam ou não sair de casa.

Após a “Noite dos Cristais”, a vida das crianças e adolescentes judeus na Alemanha e Áustria tornou-se mais difícil, visto que não poderiam frequentar parques, museus, piscinas e escolas públicas. Não só os adultos, como também seus filhos, viviam totalmente segregados naqueles países.

Por fim, muitos famílias judias desesperadas, passaram a tentar fugir da Alemanha e da Áustria. Contudo, alcançar êxito na fuga tornou-se um objetivo difícil e vários judeus suicidaram-se, ante o sentimento de impotência.


DATAS IMPORTANTES

28 DE OUTUBRO DE 1938
JUDEUS POLONESES SÃO EXPULSOS DA ALEMANHA

Aproximadamente 17.000 judeus/poloneses se viram expulsos da Alemanha e obrigados a retornar à Polônia. Só que eles também estavam proibidos de pisar em solo polonês, ou seja, a grande maioria dos judeus deportados ficaram totalmente a mercê. Alguns, ficaram no meio do caminho, numa cidade chamada Zbaszyn, que fica entre a Alemanha e a Polônia.

Dentre os deportados, estavam os pais de Herschel Grynszpan, um judeu polonês, de apenas 17 anos, que passou a viver em Paris, enquanto aguardava a maioridade para poder emigrar para o futuro Estado de Israel.


7 DE NOVEMBRO DE 1938
UM DIPLOMATA ALEMÃO É BALEADO EM PARIS

O jovem Herschel Grynszpan, atira em Ernst vom Rath, diplomata ligado a embaixada alemã na França. O tiro foi o ato de desespero de um rapaz que não sabia o destino de seus pais, que se encontravam em Zbaszyn, numa área extremamente perigosa situada entre a Alemanhã e a Plolônia.

O jovem Herschel Grynszpan à esquerda e o diplomata alemão, Ernst vom Rath à direita.

A mídia divulgou em peso o assassinato do diplomata e dizia que o garoto não havia agido sozinho. Sobretudo, os nazistas usaram o incidente para criar um grande alarde, espalhando a ideia de que existia uma grande conspiração judaica contra a Alemanha. O diplomata faleceu dois dias depois.


9 DE NOVEMBRO DE 1938
JOSEPH GOEBBELS EXIGIU UMA ATITUDE RADICAL

Joseph Goebbels, ministro alemão da propaganda, fez um fervoroso discurso antissemita aos membros do Partido Nazista em Munique. Eles estavam todos reunidos com a finalidade de comemorar o fiasco da tentativa do Nazi Putsch (de 1923), a primeira tentativa de tomada de poder de Adolf Hitler.

Após o discurso de Goebbels, oficiais nazistas ordenaram a destruição de casas, comércios, escolas e estabelecimentos sociais dos judeus, bem como suas casas de orações (sinagogas).

A onda de extrema violência perdurou até a manhã do dia 10 de novembro e ficou comumente conhecida como a “Noite dos Cristais”. Ademais, dezenas de judeus foram linchados por multidões alemãs e outra dezena de milhares enviados para campos de concentração.


12 DE NOVEMBRO DE 1938
COMUNIDADES NAZISTAS SÃO MULTADAS

A comunidade judaico/alemã recebeu uma multa de um bilhão de  Reichsmarks (equivalente a 400 milhões de dólares) do estado nazista. Após os dias de violência e vandalismo, os judeus foram obrigados a limpar a sujeira e consertar os estragos feitos pelo povo alemão e foram proibidos de requerer que as seguradoras ressarcissem o dano às suas pessoas e propriedades.

Não obstante, o estado confiscou os pagamentos que algumas seguradoras pagariam aos judeus. A partir do pogrom, os judeus foram excluídos de toda e qualquer participação na vida pública alemã.

Veja +
() Comente pelo Facebook