A História por trás de 5 músicas de Nando Reis

Informática

Culinária

Moda

Games

Automóveis

Viagens

Interessante

Música

Cinema

Meio Ambiente

Relacionamento

Política

Saúde

Dicas Diversas

A História por trás de 5 músicas de Nando Reis
Por Camila Naxara | Publicado em 6 de maio de 2021 ás 16:22

Além das inspirações, as canções representam uma parte da vida Nando Reis e por consequência, da nossa também.

Ele é um dos artistas mais queridos do nosso Rock/Pop Nacional e não é pra menos. Cantor, compositor, multi-instrumentista e um grande produtor musical, enfim, Nando tem uma carreira sólida, com musicas excepcionais.

Entretanto, existe uma história por trás de suas músicas e hoje, lhe contaremos algumas dessas histórias! 😉

Nando Reis

Significado de 5 músicas do Nando Reis

“All Star”

Provavelmente a história por trás de All Star não é mais novidade pra ninguém. No entanto, não dá pra deixar essa maravilha de fora. O tal tênis citado na música, refere-se ao all star azul claro, de cano baixo da cantora Cássia Eller, grande amiga de Nando. Na época, o cantor, que ainda fazia parte da banda Titãs, estava em um projeto com a cantora.

Nando conta que sempre a visitava em Laranjeiras, e comentou sobre o trecho da música que diz: “Se o homem já pisou na lua, como ainda não tenho seu endereço?” Na realidade, Nando sabia chegar a casa da Cássia, entretanto, apenas de táxi e quando identificava o prédio da amiga, pedia para o táxi parar e subia até ‘o 12 que é o seu altar‘.

Apesar disso, Nando só deu-se conta de não saber o endereço – número do prédio e apartamento – da Cássia, quando quis mandar uma carta para a amiga.


“Relicário”

A musica foi composta no dia de aniversário da mãe do cantor e o nome da canção tem duas inspirações. Primeiramente, uma homenagem a sua mãe que gostava muito de um bolero chamado “O Relicário”. Mas também, refere-se as relíquias – algo que você considera valioso – das memórias dos amantes que se desencontraram.

A história da música é basicamente sobre um encontro, que começa no final da tarde e os dois presentes sabem que esse encontro durará apenas aquela noite. A letra descreve o tempo e a emoção do sentimento ambivalente de aproveitar o momento e sentir-se desesperado pelo fim eminente.

Nando conta que existe um verso da música que ficou quase que profético: “o que está acontecendo? O mundo está ao contrário e ninguém reparou“. Entretanto, dentro do contexto na canção a ideia a se passar é a de quão desconcertante foi a descoberta inesperada de uma paixão irrealizável.

Sobretudo, o cantor afirma que entende que a frase solta pode ter muitos entendimentos distintos e se sente-se surpreso (no bom sentido) com cada uma delas.


“Segundo Sol”

A canção fala sobre dois assuntos: fé e ciência; que não se anulam, mas talvez não se encontrem. Fala sobre a inexistência de uma verdade absoluta. A música foi inspirada numa conversa entre Nando e uma amiga, que tinha uma conexão muito profunda com o mundo exotérico.

Quando sua amiga afirmou, de forma convicta, a vinda redentora de um segundo sol, Nando agiu com incredulidade, ironicamente e com desdém, dizendo: Como assim, um segundo sol vai chegar e a Nasa não está sabendo?

Posteriormente, Nando sentiu-se incomodado pela forma hostil com que respondeu a amiga. A música veio como uma recolocação da forma como ele queria ter ouvido e reagido a história. Nando passou a tratar o segundo sol como um outro ponto de vista.


Nando Reis – O mundo é bão, Sebastião

Quem acompanha a trajetória musical do cantor, sabe que um dos assuntos preferidos de Nando são as relações familiares. Tanto é que inúmeras músicas citam seus filhos, nominalmente.

Em 1999, Nando escreveu “O mundo é bão, Sebastião” em homenagem a seu filho, Sebastião. O cantor conta que seu filho, além de ser uma criança exótica que gostava de dinossauros e ouvir Barry Weiss, tinha um “gênio do cão”. Bem como, dizia não para tudo e todos. A única coisa que funcionava com a criança era a psicologia reversa. Se quisessem que Sebastião fizesse algo especifico, como tomar banho, havia de se mandar que ele não tomasse banho.

Logo, Vânia (mãe do Sebastião) começou a dizer sempre ao garoto mal humorado: o mundo é bão, sebastião! Nando Reis, decidiu escrever a letra a partir desse plot e a letra é uma série de descrições de tudo que havia no filho que o encantava.


“N”

De acordo com Nando, ela nunca foi uma música de trabalho, nunca tocou no rádio, não houve uma hiperexposição pra que ela virasse um hit e mesmo assim é uma das canções preferidas dos fãs. Definitivamente, caiu nas graças do público ao longo do tempo.

Nando diz que “N” é a música que mais apresenta sua influência e admiração por Roberto e Erasmo Carlos, dois compositores muito importantes para ele. O trecho “E agora, como posso te perder? Se o teu corpo ainda guarda o meu prazer; E o meu corpo está moldado com o teu?” é puro Roberto e Erasmo, segundo o cantor.

A composição veio após o fim do casamento de Vânia e Nando. A canção fala sobre a separação do casal e a espera do reencontro.

Veja +
() Comente pelo Facebook