Um pouco da minha admiração por ti

Informática

Culinária

Moda

Games

Automóveis

Viagens

Educação

Música

Cinema

Meio Ambiente

Relacionamento

Política

Saúde

Dicas Diversas

Um pouco da minha admiração por ti
Por Redação | Publicado em 28 de junho de 2016 ás 01:48

admiração

Um pouco da minha admiração por ti

Tu guria, que saiu e voltou pra minha vida, és mais do que apenas uma guria. Tu és a guria. Que despertou em mim sentimentos que julgava não ser mais capaz de sentir. Digo mais: despertaste em mim sentimentos que nunca imaginei que eu poderia sequer sentir. Encontrei na sua presença o gatilho que ativou na minha memória as promessas que fiz à mim mesmo tempos atrás. Na época que eu dizia que queria um amor apenas na vida. Que fosse único, intenso e duradouro. E quando chego a quase lamentar o quanto me demorei em perceber que já havia te encontrado, recobro os sentidos e penso nas coisas que repito mentalmente, escrevo nos meus textos, porém quase nunca realmente faço: ser grato pelas coisas por terem sido exatamente quando foram.

Fosse antes que tivéssemos nos apaixonado um pelo outro, vai saber o que seria de nós agora. Tudo é tão maluco, mas tão maluco que eu entrei nesse ano um pouco perdido com as desilusões das noites e vou sair dele completamente encontrado. Contigo, que torna meus dias mais leves. E comigo: hoje olho no espelho e sei quem eu sou. Peguei por mania repassar mentalmente todos os nossos encontros sempre que te levo embora. E em cada nuance dos meus erros vou pensando em soluções pra me tornar, então, alguém de qualidades bárbaras pra ti. E nem adianta me falar que não precisa: é automático, é uma necessidade e um vício; fazer as coisas pensando em ti.

Só queria te fazer entender o magnetismo que tu tens aqui nesse velho coração. Quando eu recebia as inspirações para minhas criações, sempre vieram-me mensagens que falavam em olhos verdes, sorrisos sinceros, paixões incandescentes. Estaria eu repetitivo? Isso eu me perguntava. Por que aquela atração emblemática por elementos assim? E aí algo me colocou a te rever de outra forma e tudo fez sentido; alguém sussurrava no meu ouvido que meu futuro estava ali na minha frente e eu não vi antes por alguma razão. Qual? Ainda não sei. Meu palpite é que faltava apenas amadurecimento suficiente pra receber o furacão que és tu dentro de mim. Se eu já sou maduro? Não. Mas agora quero crescer contigo. Só contigo.

Tu eletriza a minha vida, incendeia minhas expectativas. Não somos perfeitos nem feitos um pro outro. Somos água e vinho. Juntos e distantes, planetas a parte. Você é a terra e eu sou marte. Eu quero você assim mesmo, diferente de mim. Porque o que é igual não encaixa e eu já me sinto perfeitamente encaixado em ti. E tu em mim? Mais do que isso: marcada a ferro, tatuada no meu peito. Te trouxe pra minha vida, construi uma fortaleza pra ti, passei um cadeado e deixei a chave na tua mão.

Joga fora agora essa chave! Joga que eu vou falar um pouco da minha admiração por ti.

 

Autor: Paulinho Rahs
Veja +
() Comente pelo Facebook