Eu não preciso te esquecer

Informática

Culinária

Moda

Games

Automóveis

Viagens

Educação

Música

Cinema

Meio Ambiente

Relacionamento

Política

Saúde

Dicas Diversas

Você está em: Home » Eu não preciso te esquecer
Eu não preciso te esquecer
Por Redação | Publicado em 28 de junho de 2016 ás 01:34

te esquecer
Eu não preciso te esquecer

Seria uma burrice sem tamanho lutar contra todo o sentimento que construí sobre nós dois. Eu realmente não gostaria de viver o fim que vivemos, mas nem tudo a gente escolhe nessa vida, né?

Acabou. Passou. O mundo girou.

Continuei sem você e você fez o mesmo sem mim. Nada mudou tão profundamente assim. Seguimos sem ter um ao outro, com a mesma vida normal de sempre a espera das datas de vencimento dos cartões.

Tudo ficou tão mais leve depois que entendi que eu não precisava te esquecer. Antes, eu sofria tanto por te ver morando na minha cabeça com um quarto só seu no meu coração. Sério, eu sofri tanto. E tentei de tudo pra te jogar para longe dos meus dias. Parei de te seguir, troquei seu nome e conheci outros beijos. Tudo isso para ver se eu conseguiria te jogar pra longe de mim. Bobagem minha.

Eu simplesmente não preciso te esquecer. Eu nunca vou te esquecer. As coisas que a gente viveu nunca serão esquecidas. E eu concluí ao parar pra pensar que lutar contra é me machucar.

Você sempre terá um espaço bonito em minha vida. Excluirei os dias ruins e as más lembranças só pra colecionar momentos que a gente deu risada.

A gente não escolhe no que pensar, mas a gente pode privilegiar no que pensar.

Isso significa que vez ou outra ainda lembro de você, mas agora como uma lembrança boa. Passarão sessenta anos e ainda será assim. Sem expectativa de te reencontrar pra reviver, só pelo sentimento bom de ter vivido algo bom com você.

Eu não preciso te esquecer, mas também não preciso ficar lembrando sempre. Não dou força para o pensamento que não quero ter.

Se fomos um dia verdade, hoje somos só saudade. Não aquela que dá vontade de querer voltar atrás, mas aquela outra de lembrar como a gente já viveu coisa boa.

Autor: Márcio Rodrigues
Veja +
() Comente pelo Facebook